Jimmy Cobb, baterista do lendário álbum ‘Kind of blue’, de Miles Davis, morre aos 91 anos | Música

Jimmy Cobb, baterista do lendário álbum ‘Kind of blue’, de Miles Davis, morre aos 91 anos | Música

  • Post Author:
  • Post Category:Sem categoria
  • Post Comments:0 Comentários


Wilbur James Cobb, conhecido no meio musical como Jimmy Cobb, morreu neste domingo (24), aos 91 anos. Em entrevista à rádio americana NPR, a mulher do músico, Eleana Tee Cobb, informou que ele morreu por causa de um câncer no pulmão.

A longeva e produtiva carreira musical do baterista inclui a gravação do disco “Kind of Blue”, de Miles Davis. Lançado em 1959, o álbum é o mais vendido na história do jazz.

Jimmy Cobb era o último músico sobrevivente do grupo que gravou o projeto. Completavam o time o saxofonista John Coltrane, o baixista Paul Chambers, o pianista Bill Evans, além de Julian Cannonball Adderley no saxofone alto.

Autodidata, Cobb nasceu em Washington, em janeiro de 1929 e começou a tocar aos 18 anos. O músico iniciou seu contato com Davis na década de 1950, quando se estabeleceu em Nova York em busca de oportunidades profissionais.

Segundo o jornal “El País”, Cobb recebeu US$ 70 pela sessão de gravação do disco na época e nunca recebeu royalties.

Além de trabalhar ao lado do trompetista, Cobb também gravou junto a Cannonball Adderley, Wes Montgomery, Dizzy Gillespie, Dinah Washington, Pearl Bailey, entre outros grandes nomes do jazz.

Nos últimos anos, o músico passou por necessidades financeiras e sua filha iniciou uma campanha, no começo de 2020, para arrecadar fundos para a cobertura de gastos médicos que não eram custeados pelo plano de saúde.

Segundo texto publicado por Serena no site da campanha, “nos últimos dois anos, Cobb tem lidado com alguns problemas de saúde que têm causado sérios desafios para ele fisicamente”. Ela não citava quais seriam esses problemas.

Mesmo após o anúncio da morte do músico, as doações continuam até a manhã desta segunda-feira (25).

Amigos e familiares deixarem mensagens no Facebook de Eleana Tee Cobb lamentando a morte do músico.



Fonte

Deixe uma resposta