Fla vence Bahia por 4 a 3 e sobe para a vice-liderança do Brasil

Fla vence Bahia por 4 a 3 e sobe para a vice-liderança do Brasil


O Flamengo acreditou até o fim e venceu. Mesmo com um a menos desde os nove minutos do primeiro tempo e sofrendo a virada no início da segunda etapa. O time de Rogério Ceni buscou os três pontos até o fim do jogo e derrotou o Bahia por 4 a 3, no Maracanã, em um jogo alucinante.

Com a vitória, o Rubro-Negro chegou a 48 pontos e agora é o vice-líder do Brasileirão, cinco ponto atrás do São Paulo e com um jogo a menos. Já o Bahia chegou à quinta derrota consecutiva e permanece com 28 pontos, na 16ª colocação.

O Flamengo começou em ritmo acelerado. Logo aos quatro minutos, Bruno Henrique recebeu lançamento pela esquerda, cortou para o meio e, na entrada da área, colocou no ângulo esquerdo do goleiro Douglas Friedrich. Cinco minutos depois, o Rubro-Negro perdeu seu artilheiro.

Gabigol foi expulso pelo árbitro Flávio Rodrigues de Souza após reclamação de uma falta não marcada. O atacante saiu revoltado do gramado. Com um a mais, o Bahia passou a pressionar o Flamengo e obrigou o goleiro Diego Alves a fazer duas grandes defesas. A primeira, aos 22 minutos, com o pé, em um chute de Nino Paraíba. A segunda, aos 29 minutos, espalmando um chute forte de Gilberto.

Apesar das tentativas dos visitantes, foi o Flamengo que marcou. Gérson deu belo lançamento para Bruno Henrique, que ganhou da zaga e tocou para Isla, de primeira, chutar de canhota e ampliar o placar. O Bahia sentiu o segundo gol e o Rubro-Negro, mesmo com um a menos, passou a controlar a partida.

Bruno Henrique teve mais duas chances ainda na primeira etapa. Aos 41 minutos, driblou Juninho e chutou para a defesa de Douglas. Nos acréscimos, o camisa 27 recebeu cruzamento de Arrascaeta e finalizou tirando tinta da trave do Bahia.

O Bahia começou o segundo tempo partindo para cima do Flamengo. Com um minuto de jogo, Gabriel Novaes entrou na área pela direita com chance de finalizar, mas preferiu o toque para Gilberto. O atacante não chegou na bola e acabou fazendo falta.  Quatro minutos depois, o Esquadrão de Aço diminuiu. Rossi recebeu pelo meio e deu lindo passe para Ramírez. O atacante dominou, limpou Natan e tocou na saída de Diego Alves.

O Flamengo sentiu o gol e o Bahia aproveitou o momento. Aos 10 minutos, Gilberto dominou pela esquerda e soltou uma bomba no ângulo esquerdo de Diego Alves. Golaço e tudo igual no Maracanã.  Nervoso, o Rubro-Negro se perdeu completamente em campo e o Bahia virou aos 13 minutos. Escanteio pela direita cobrado por Rossi e Gilberto, de cabeça, virou o jogo.

A resposta veio aos 18 minutos, quando Arrascaeta tocou para João Gomes finalizar na trave. No rebote, Bruno Henrique não conseguiu completar para o gol. O Bahia diminuiu o ritmo e, aos poucos, o Flamengo passou a chegar com mais perigo. O empate veio aos 36 minutos. Filipe Luís avançou pela esquerda e cruzou para Pedro, de peito, deixar tudo igual.

O Bahia só não ficou na frente do placar novamente porque Diego Alves operou um milagre no Maracanã. Aos 38 minutos, Rossi ganhou de Filipe Luís na corrida e cruzou. O goleiro rebateu. Na sobra, Rodriguinho chutou forte e Diego Alves salvou o Flamengo com uma bela defesa.

Quando parecia que o empate era inevitável, o Flamengo virou. E com um golaço. Pedro recebeu lançamento e tocou de letra, de primeira, para Vitinho. O atacante teve calma e tocou por cima de Douglas para garantir a vitória rubro-negra. Logo após o quarto gol do Flamengo, Daniel recebeu cartão vermelho por reclamação.

Na próxima rodada, o Flamengo enfrenta o Fortaleza, sábado (26), às 19h, no Castelão. Já o Bahia recebe o Internacional, domingo (27), às 16h, na Fonte Nova, em Salvador. 

 

Racismo

Logo após o Bahia marcar o primeiro gol no Maracanã, o meio-campista Gerson se revoltou com Ramírez. O camisa 8 do Flamengo estava visivelmente irritado com o jogador colombiano. Durante entrevista após o jogo Gerson acusou  Ramírez de racismo e criticou o técnico Mano Menezes.

“Eu tenho vários jogos pelo profissional e eu nunca vim na imprensa falar nada até porque eu nunca sofri esse preconceito e nunca fui vítima nenhuma vez, mesmo sendo eliminado de Libertadores, Copa do Brasil, eu nunca sofri esse preconceito. Depois ali o Mano até falou: ‘agora você é vítima, né. O Daniel Alves te atropelou e você não falou nada’. Claro, porque teve respeito. Eu e ele.  O Ramirez – acho que foi quando a gente tomou o segundo gol,  não lembro –  o Bruno Henrique fingiu que ia chutar e ele reclamou com o Bruno. Fui falar com ele e ele falou bem assim para mim: ‘cala a boca, negro’. Eu nunca falei nada disso, porque eu nunca sofri, mas isso eu não aceito. Nunca falei de treinador, mas o Mano precisa saber respeitar. Estou vindo falar aqui em meio de todos os negros que existem no Brasil”, disse Gerson.

Após a partida, o vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz, fez um pronunciamento oficial sobre a ofensa racista a Gerson. “A gente está feliz com o resultado esportivo, mas muito infeliz por um fato que ocorreu dentro do campo relatado pelo Gerson em que sofreu uma… eu acho que a gente tem até dificuldade de falar. Ele sofreu uma ação de racismo dentro de campo, relatou isso para a imprensa, e o Flamengo, como instituição, como instituição centenária, vem se colocar à disposição do atleta, ao lado do atleta, e mais do que isso, peço a profunda apuração desse episódio que é infeliz, ele sempre foi infeliz, só que, infelizmente, é contundente no mundo de hoje. O Flamengo está ao lado do atleta, com o atleta, e pede uma profunda investigação sobre o relatado e as acusações [feitas] pelo atleta do Flamengo”., afirmou o dirigente. 

O Vasco da Gama também manifestou solidariedade ao jogador rubro-negro nas redes sociais. 





Source link

Deixe uma resposta